Anúncio sem fins lucrativos. Colabore com o Médicos Sem Fronteiras!

Tag: ubuntu

Problema ao tocar músicas e vídeos no Linux Mint 13 Maya (Mate): tudo acelerado

Estava com esse problema e como encontrei a solução (que é bem simples) resolvi compartilhar.

Como o Linux Mint 13 Maya é baseado no Ubuntu 12.04, provavelmente a mesma dica irá funcionar no Ubuntu.

No meu caso, o problema estava no driver de áudio. Para resolver, bastou acessar:

  • Menu Principal / Sistema / Preferências / Som

E de lá, na aba Saída (OUTPUT), marcar o driver de áudio interno (ou internal, ou built in), como na imagem abaixo:

 

 

E pronto!

Fonte: http://www.hanckmann.net/?q=high_speed_video_and_no_audio_in_linux


Resolvendo problema com Amarok no Linux: Após pausar música, volume volta em 100%

Essa é uma dica rápida pra quem está passando por esse problema. Aconteceu comigo e após uma pequena pesquisa, consegui resolver.

O procedimento foi testado no Linux Mint Debian Edition, mas deverá funcionar normalmente no Ubuntu e Debian.

Pelo que pesquisei, o problema não é no Amarok, mas sim no Phonon, que é uma API multimídia criada para abstrair o gerenciamento multimídia no KDE. Além de outras coisas, isso faz com que o Amarok possa funcionar no Windows e MacOS, por exemplo.

Enfim, sem entrar em maiores detalhes, o post que encontrei me sugeriu trocar o pacote phonon-backend-vlc pelo phonon-backend-gstreamer. Pra isso, digite o seguinte no Terminal:

sudo apt-get update
sudo apt-get remove phonon-backend-vlc
sudo apt-get install phonon-backend-gstreamer

Depois é só fechar e abrir o Amarok, que deve funcionar normalmente. Pelo menos funcionou comigo :)

Mais informações:


Debug remoto com o NetBeans e Tomcat no Linux

Passei algum tempo pra fazer isso funcionar, mas finalmente consegui. Debugar (depurar) em um servidor remoto é bastante útil e economiza bastante tempo. No meu caso, tenho uma lib (jar) que é importada no projeto, e a única forma de debugar ela com o projeto rodando, foi utilizando o debug remoto (mesmo estando no mesmo servidor).

É bastante interessante utilizar um Tomcat que foi instalado separadamente, e não o que foi instalado com o NetBeans. No meu caso, não instalei do repositório (apt, yum etc.), mas baixei o pacote compactado no site e extraí na pasta /opt/tomcat6.

O procedimento foi testado no Linux Mint Debian Edition (LMDE), mas muito provavelmente funcionará em outras distribuições, especialmente Debian e Ubuntu. A versão do NetBeans é a 7.1.1 e o Tomcat 6.0.35.

Vá no Terminal e digite o seguinte comando

sudo java -jar -Xdebug -Djava.compiler=NONE -Xrunjp:transport=dt_socket,server=y,suspend=n,address=7001 -Duser.dir="/opt/tomcat6" -Djava.endorsed.dirs="/opt/tomcat6/common/endorsed" "/opt/tomcat6/bin/bootstrap.jar" start

Lembre-se de substituir pelos diretórios corretos para o seu caso.

Se a mensagem "INFO: Server startup in X ms" apareceu, quer dizer que até aí deu tudo certo.

Depois é só ir no NetBeans para anexar o depurador. Acesse o menu "Depurar" (em inglês deve ser "Debug") e depois "Anexar Depurador" (em inglês deve estar como "Attach Debugger").

Coloque a porta 7001 e o host deve ser a máquina onde está o tomcat (o IP ou o nome). E pronto. Agora é só abrir sua aplicação e colocar os pontos de interrupção onde você quizer!

Informação adicionada em 26/12/2012:

Graças à colaboração (através dos comentários) de Afonso, vou mostrar uma forma bem mais simples (e que resolverá seu problema caso não esteja conseguindo debugar)

Ao invés de chamar o tomcat através da linha abaixo:

sudo java -jar -Xdebug -Djava.compiler=NONE -Xrunjp:transport=dt_socket,server=y,suspend=n,address=7001 -Duser.dir="/opt/tomcat6" -Djava.endorsed.dirs="/opt/tomcat6/common/endorsed" "/opt/tomcat6/bin/bootstrap.jar" start

Simplesmente adicione ao catalina.sh, logo após os comentários (linhas que começam com #), a linha abaixo:

CATALINA_OPTS=”-Xdebug -Xrunjdwp:transport=dt_socket,address=7001,server=y,suspend=n”

E reinicie seu Tomcat. O resto dos passos você pode fazer da mesma forma, e assim você poderá depurar/debugar suas classes remotamente!

Fonte: http://ahm507.blogspot.com.br/2006/12/netbeans-remote-debugging.html


Como apagar todos os arquivos de um tipo (extensão) de uma pasta e suas subpastas no Linux

Se você precisar apagar todos os arquivos com um tipo (extensão) no Linux, tem uma linha de comando que vai te ajudar. É essa:

 

rm -rf `find /diretorio/que/quer/apagar/ -iname "*.extensao"`

Por exemplo:

rm -rf `find /home/tiago/NetBeansProjects/MeuProjeto -iname "*.class"`

A linha acima vai apagar todos os arquivos com extensão .class da pasta /home/tiago/NetBeansProjects/MeuProjeto Simples assim. O procecedimento foi testado no Ubuntu 10.04 LTS Desktop


Instalar Ubuntu 10.04 Server + Tomcat + PostgreSQL

Neste post vou ilustrar, através de prints, como instalar o Ubuntu Ubuntu 10.04 Server + Tomcat + PostgreSQL, que é um ambiente de produção utilizado em muitas aplicações web.

Vou partir do pressuposto que você irá realizar o processo em uma máquina física com HD vazio (ou que possa ser esvaziado) ou em uma máquina virtual. Para segunda opção, recomendo o Virtualbox

O Ubuntu 10.04 Server possui suporte até abril de 2015, e atualmente é a versão servidor mais estável da Canonical. Se você ainda não possui a imagem (ISO), pode baixar aqui.

Abaixo segue o passo-a-passo:

 


 

 

 


O Guardião Itaú 30 Horas apresenta: Corra Tiago, Corra

Hoje eu me senti como em Corra Lola, Corra. Com exceção dos três finais diferentes, houveram bastantes semelhanças.

Lá vou eu pagar um boleto pelo internet banking do Itaú, como faço desde que sou cliente. Acesso o site quande, de repente, aparece uma mensagem: é necessário instalar o Guardião Itaú para fazer pagamentos. Logo pensei: vai dar merda.

Eram 21:15 do último dia para o pagamento do boleto e os bancos brasileiros geralmente não lembram das pessoas que não usam Windows. Como eu uso Linux (Ubuntu), imaginei a dor de cabeça que teria. Se não pagasse hoje, perderia o desconto de quase R$40.

Instalei o dito programa (complemento do Firefox) como informado, reiniciei e nada. Re-instalei: nada. Resolvi abrir uma máquina virtual do XP que tenho instalada para situações inusitadas: a mesma coisa.

Olhei para o relógio: 21:35.

Corra Lola, Corra

Dá tempo de pegar a bicicleta, chegar no Itaú mais próximo, e pagar a conta antes das 22 horas (quando fecha o banco). A agência fica a mais ou menos 1km da minha casa. Peguei a bicicleta, botei Guns N' Roses no Mp3 Player (pra dar energia!) e fui pro banco. Quando chego na agência, o que percebo? Estou sem o cartão!

Conferi novamente nos bolsos pra ter certeza, subi na bicicleta e fui em direção à minha casa.

Tinha que chegar a tempo de pegar o cartão, e digitar minha senha no caixa eletrônico antes das 22 horas!

Vi um sinal verde à minha frente e logo pense: vou pedalar mais forte pra conseguir passar no sinal verde – já que no vermelho demorar uns 5 minutos (que eu não tinha) pra abrir.

A corrente da bicicleta caiu.

Só pode ser sacanagem.

[...]

Coloquei a corrente e fui pra casa com a mão toda cheia de graxa. Peguei o cartão e voltei pedalando, quando no caminho:

A corrente cai novamente.

Respirei fundo e consegui chegar no banco faltando 8 minutos. Pra não dizer que já tava acabado, a porta do banco (que abre com o cartão) não queria abrir. Tive que passar o cartão umas dez vezes (sem exagero) pra ela abrir!

Mas abriu. Consegui pagar minha conta. Coloquei Peter Tosh no Mp3 Player e voltei tranquilo. :)

Tudo bem que Corra Lola, Corra tem uma trama bem mais dramática. Mas pra uma noite de quarta-feira em Aracaju, até que foi razoável! :P

Baseado em fatos reais.

PS: Quando cheguei em casa, 30 minutos antes de escrever esse artigo, pesquisei no Google e encontrei um complemento do Firefox que burla o Guardião Itaú e programas bugados (similares) de outros bancos. Peço encarecidamente ao pessoal do Itaú que tenha um pouco mais de atenção com seus clientes para evitar situações complicadas como a descrita acima.


Corrigindo o problema “No init found. Try passing init=bootarg.” no Ubuntu

Hoje me deparei com esse erro. Ao ligar o computador, apareceu somente essa mensagem e o sistema não iniciava. Consultei o fórum do Ubuntu e encontrei um tópico que falava desse problema.

Pra resolver, iniciei pelo Live CD e fui no Terminal (Menu Principal / Acessórios / Terminal) e digitei o seguinte comando:

sudo fsck /dev/sda3

Em seguida respondi yes (y) a todas as questões. Reiniciei o computador e tudo funcionou normalmente.

Faça backup dos seus dados antes de realizar o procedimento.

O procedimento foi testado no Ubuntu 10.04


Como baixar e-mails do Gmail por linha de comando no Ubuntu

Se você é como eu, e tem muitos e-mails importantes no seu gmail, mas não confia totalmente no Google, talvez você não queria perder todas as suas mensagens. Esse pequeno artigo vai explicar como baixar seus e-mails do Gmail por linha de comando.

Lembre de, antes de começar, ir nas configurações do Gmail, depois em Encaminhamento e POP/IMAP e ativar a opção Ativar POP para todos os e-mails (mesmo os que já foram baixados).

A vantagem é que você pode colocar uma única linha no cron e fazer backup automaticamente, com o intervalo que quizer.

A maneira que vou mostrar aqui coloca cada mensagem (e seus anexos) em um arquivo separado. Esse arquivo pode ser aberto pelo Mozilla Thunderbird.

Mas vamos ao que interessa. Os comandos abaixo vão fazer o download do getmail, que é o programa que será utilizado no procedimento:

sudo apt-get update
sudo apt-get install getmail4

Os comandos abaixo criam as pastas e arquivos necessários para o funcionamento do programa:

mkdir ~/gmail-archive/
mkdir ~/gmail-archive/tmp
mkdir ~/gmail-archive/new
mkdir ~/gmail-archive/cur
mkdir ~/.getmail/
sudo gedit ~/.getmail/getmail.gmail

Dentro do arquivo getmail.gmail coloque o seguinte conteúdo substituindo (of course) SUACONTANOGMAIL pelo seu usuário e SUASENHANOGMAIL pela sua senha:

[retriever]
type = SimplePOP3SSLRetriever
server = pop.gmail.com
username = SUACONTANOGMAIL@gmail.com
password = SUASENHANOGMAIL

[destination]
type = Maildir
path = ~/gmail-archive/

[options]
# print messages about each action (verbose = 2)
# Other options:
# 0 prints only warnings and errors
# 1 prints messages about retrieving and deleting messages only
verbose = 2
message_log = ~/.getmail/gmail.log

Depois é só executar o comando abaixo substituindo (obviamente) SUAPASTAHOME pela sua pasta home:

getmail -r /home/SUAPASTAHOME/.getmail/getmail.gmail

E pronto!

Também configurei com outro provedor que tenho e-mail, só que sem SSL. Ficou assim:

[retriever]
type = SimplePOP3Retriever
server = pop.SEUSERVIDOR.com
port = 110
username = SUACONTADEEMAIL
password = SUASENHADOEMAIL

[destination]
type = Maildir
path = ~/whb-archive/

[options]
# print messages about each action (verbose = 2)
# Other options:
# 0 prints only warnings and errors
# 1 prints messages about retrieving and deleting messages only
verbose = 2
message_log = ~/.getmail/whb.log

Fonte: http://joshua14.homelinux.org/blog/?p=547


ISOs de versões antigas do Ubuntu

Seguindo a linha do post que fiz sobre como encontrar os repositórios de versões antigas do Ubuntu, agora venho com uma dica rápida. Para conseguir baixar versões antigas do Ubuntu, basta acessar o seguinte endereço: http://old-releases.ubuntu.com/releases/. Nessa URL você vai encontrar todas as versões sem suporte do Ubuntu.

Lembrando mais uma vez que a utilização de uma versão sem suporte não é recomendada, e que você só deve fazer isso se realmente souber o que está fazendo.

Se você é novo no Ubuntu, é recomendável utilizar uma versão LTS. A versão LTS atual é a 10.04, e a próxima será a 12.04, que será lançada em abril de 2012.


Repositórios de versões antigas do Ubuntu

O caso é esse: você tem uma versão do Ubuntu instalada em sua máquina, mas não pode ou não quer atualizar para uma versão nova. Assim que a versão sai do suporte, os repositórios oficiais são tirados do ar. E agora? O que fazer?

Parabéns! Você acabou de encontrar a solução para o seu problema! :)

A Canonical mantém repositórios de arquivo para as versões antigas. Assim você pode alterar o endereço no sources list (/etc/apt/sources.list) e assim continuar podendo utilizar o apt-get e aptitude normalmente. Os repositórios ficam aqui: http://old-releases.ubuntu.com/ubuntu/dists/

Lembrando que utilizar uma versão sem suporte não o ideal nem o mais seguro. Só faça isso em último caso.

Até o momento, as distribuições que já estão sem suporte são essas:

 

 

Clique na imagem para ampliar. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ubuntu

 

 


  • Versão Mobile



    Versão Mobile
  • Projetos Paralelos

    • JLoja
      Sistema (livre) de controle de estoque
  • Estatísticas

    Page Views (desde março de 2010):

    Estatísticas detalhadas
  • Todo o conteúdo desse site esta licenciado sob a licença Creative Commons 3.0 (CC BY 3.0). Você pode copiar e modificar o conteúdo desde que cite o autor.
    iDream theme by Templates Next | Powered by WordPress