Com alguma frequência viajo de avião e – como normalmente compro as passagens mais baratas – é comum ter conexões.

A passagem que mais me interessava tinha uma conexão curiosa: eu chegaria em São Paulo no Aeroporto de Congonhas (CGH) e pegaria um outro vôo em Guarulhos (GRU), ou seja, teria que ir por terra de um aeroporto ao outro. O tempo (com trânsito bom) para o trajeto é de cerca de 45 minutos.

Como tinha uma diferença de duas horas e meia entre um vôo e outro, e a companhia aérea oferece um ônibus gratuitamente para os trajetos entre os aeroportos, não tinha muito o que dar errado, certo? Errado.

Quando cheguei na fila para pegar o ônibus, tinha uma quantidade absurda de pessoas na mesma situação e descobri que a empresa só disponibilizava um ônibus por hora, sendo que o primeiro tinha acabado de partir. Caso tudo desse certo, levaria 1 hora e 45 minutos pra chegar em Guarulhos. Lembrando que é preciso chegar com uma hora de antecedência, pois as bagagens foram retiradas por mim em um aeroporto para serem levadas ao outro e eu teria que despachá-las novamente.

Fui ao atendimento da empresa para me informar sobre o que fazer, pois a chance de perder o vôo era alta, e a resposta foi bem clara: o cliente é responsável pelo transporte, e a empresa não pode (ou não quer?) fazer nada a respeito. Falei com o supervisor e ele me disse a mesma coisa, argumentando que a ANAC regulamenta essa modalidade de vôo (segundo ele, Surface), e que o ônibus da empresa é uma cortesia.

Ora, qual a vantagem pra mim de pegar um vôo com uma conexão e ainda ter que arcar com os R$42,00 (de ônibus) ou R$189,00 (de táxi)?

Vôos com conexões normalmente são mais baratos, e se vou ter que gastar mais com isso, perdem completamente a vantagem!

Mas o que incomoda de verdade é o fato de que em nenhum momento, desde a compra da passagem até o embarque na cidade de origem, fui orientado de que teria que arcar com esse valor caso não tivesse disponibilidade no ônibus. Agora o cliente é obrigado a fuçar o site da ANAC e da empresa aérea em busca de contratos e regulamentações para pegar um simples vôo?

Se eu tiver que ficar vendo regulamento para tudo que consumo (internet, telefonia móvel, cartão de crédito etc.) eu não vou fazer outra coisa na vida!

No fim, pra mim deu tudo certo. Mas várias pessoas que estavam na mesma situação perderam seus vôos.

Atualização em 07/01/2016

Acredito que a melhor opção para ir de Congonhas a Guarulhos (e vice-versa), principalmente para quem estiver com pouco tempo, é utilizar o Uber. Sai bem mais barato que taxi na bandeira 1 que, sem trânsito, custa em torno de R$120. O mesmo trajeto no Uber sai entre R$60 e R$80. Não existe bandeira 2 no Uber.

O preço é bem interessante, especialmente se forem duas pessoas ou mais. O tempo do trajeto (sem trânsito) é algo em torno de 40 minutos a 1 hora, e normalmente é possível conseguir um Uber em cerca de 10 a 15 minutos.

Cadastre-se no Uber utilizando o cupom de desconto mbx1xkkmue e ganhe R$10 (dez reais) de desconto nas duas primeiras viagens.

É interessante que você já deixe o aplicativo configurado e com o cartão de crédito cadastrado para que, quando você precise, ele já esteja disponível para ser usado. Cada usuário só pode pedir um carro, então se você precisar de dois, configure o aplicativo também no celular de outra pessoa.

Saiba mais sobre o Uber.