Ganhe R$20 de desconto na primeira corrida com a 99Taxi!

Archive for outubro, 2010

Cerca de 90% dos 500 Maiores Supercomputadores Usam Linux

A informação é de Junho, mas acho válido colocar aqui pra que quem ainda não sabe, fique sabendo! 🙂

Em 2010, no ranking dos 500 melhores supercomputadores mostra que o Linux está na frente, como o Sistema Operacional mais utilizado. Segundo o site TOP 500 Supercomputer Sites, cerca de 90% dessas grandes máquinas utilizam Linux. Veja as estatísticas aqui: http://www.top500.org/stats/list/35/os

O gráfico ilustra o uso dos mais importantes sistemas operacionais nos maiores supercomputadores com o passar dos anos

Veja aqui o gráfico original

O ranking foi divulgado nesta segunda-feira, 31/05, durante a International Supercomputing Conference 2010, que acontece em Hamburgo, na Alemanha.

Como o alto índice indica, os computadores com Linux estão nas primeiras posições da lista. A colocação pode ser justificada pelo fato das máquinas com sistema operacional aberto serem mais estáveis, adaptáveis, além de terem licença que permite o uso de alterações sem que para isso seja preciso desembolsar muito dinheiro.

A lista dos 500 supercomputadores é divulgada a cada dois anos. De acordo com informações de gráficos elaborados pela BBC, as melhores máquinas estão localizadas nos Estados Unidos.


Recupere seu notebook roubado com o Prey

O Brasil é um país bastante violento. Roubos e furtos são uma preocupação constante para parte considerável dos brasileiros – pelo menos para os que não vivem em uma redoma. Às vezes guardamos dinheiro por vários meses ou pagamos parcelas por muito tempo para conseguir comprar um notebook ou smartphone, mas aparece um engraçadinho para furtá-lo ou roubá-lo. O Prey é um software (livre) que pode te ajudar a encontrar o ladrão, recuperar seu notebook ou smartphone, e entregá-lo à polícia.

Baixe o Prey aqui.

Funciona da seguinte forma:

  1. Você instala um programa pequeninho. Esse programa funciona em Windows, Linux e Mac OS X. Além de funcionar em alguns Smartphones. Ele é grátis e livre!
  2. Depois de instalado, pelo próprio programa você pode criar uma conta e é com ela que você vai cadastrar seus aparelhos. Você pode cadastrar até 3 computadores ou smartphones. Vá até seu e-mail e confirme a criação da conta, assim que você terminar de se inscrever.
  3. Logue na conta. Agora você tem controle sobre seu computador. Através do site do Prey, você pode configurar para que o programa envie de tempos em tempos (o padrão é 20 minutos, mas você pode configurar isso) relatórios de uso do seu aparelho. Os relatórios só são enviados quando você marca o aparelho como desaparecido (missing).
  4. A partir de agora você vai ter várias opções, entre elas:
  • Capturar fotos da webcam;
  • Capturar fotos da tela;
  • Enviar uma mensagem de alerta personalizada para o ladrão, que aparecerá na tela do computador;
  • Bloquear o computador – essa não é tão eficiente, pois o ladrão pode formatar o computador;
  • Limpar as informações pessoais, como senhas;
  • Tocar um alarme barulhento, caso você ache que o aparelho ainda está por perto.

É isso. Não é bom ter nada roubado, mas se houver algo que nos ajude a encontrar, é bastante interessante.

Se gostou do artigo, mostre a seus amigos!


Debian e Ubuntu – Características, diferenças e semelhanças

Roberval Sena, usuário da lista de discussão oficial da distribuição Linux Debian em português estava com algumas dúvidas, e resolver fazer umas perguntas aos outros usuários. Achei que as perguntas dele são as mesmas de muita gente, então resolvi dar uma organizada e postar aqui no blog. Quem respondeu às perguntas dele foi Guilherme Rocha.

Se tiver interesse em assinar a lista do Debian, bastar entrar aqui: http://lists.debian.org/debian-user-portuguese/, colocar seu e-mail, e clicar em subscribe.

As mensagens originais são essas:

ROBERVAL SENA: O por que da prefêrencia do publico pelo Ubuntu? Marketing?

GUILHERME ROCHA: Em partes sim, em partes não. O Ubuntu foi criado para ser amigável, e foi investido muito dinheiro privado. Um milionário excêntrico achou que podia ajudar a comunidade criando uma nova “marca” de Linux.

A preferência do público, em partes prefere o Ubuntu, isso não é regra. Mas para fazer um desktop, ele é mais fácil, e somos tendenciosos a escolher as coisas mais fáceis.

Ele inclui diversas coisas proprietárias que não podem ser incluídas no Debian. Já com o Debian, você precisa saber exatamente o que está fazendo, ou as coisas podem entortar. E realmente, os objetivos dele (fundador do Ubuntu) foram alcançados, imagino até mesmo superados.

R.S.: Existe realmente diferença substancial estre Debian e Ubuntu, fora a instalação, mesmo sabendo que o Ubuntu é inspirado no Debian?

G.R.: Milhares:

a) O Debian é feito por uma comunidade independente de qualquer instituição, apesar de algumas estarem “abraçando a causa”, como a HP por exemplo, que emprega muitos desenvolvedores Debian.

b) No Ubuntu tem softwares proprietários e com trademark como Java, Flash, Firefox etc. No Debian, por definição e conceito de software livre, esses softwares não são disponibilizados por padrão. Você precisa instalar depois, e no caso do Firefox, temos o Iceweasel, que é um irmão gêmeo do firefox.

c) O Debian é universal, o Ubuntu é para Desktops, apesar de ter diferentes versões hoje em dia. O Debian é preferência de desenvolvedores, e o Ubuntu, de usuários.

E por aí vai…

R.S.: A cada 6 meses tem um ubuntu novo. E dá-lhe CD novo e, nova instalação, mesmo baixando pelo Synaptic acaba sendo uma nova instalação e que demora horas. O mesmo acontece com o Debian? É preciso “re-instalar” o sistema a cada versão ou é uma atualização simples dos pacotes com o ‘apt-get upgrade’ normal?

G.R.: Em nenhum dos dois você precisa re-instalar, mas sim baixar muita coisa pelo apt para atualizar. Isso é normal. Você faz um “apt” do Windows XP para o Vista?

Mas em geral, uns 700MB de atualizações é bem aceitável.

R.S.: Porque o pessoal do Debian não faz uma instalação digamos mais ‘amigável’ pra cativar novatos?

G.R.: O Debian tem uma instalação muito simplificada, IMHO. Você testou o instalador novo? Você conhece as opções dele? Sabia que tem um modo gráfico?

R.S.: Os amigos não acham de a instalação do debian tem passos demais é pra ter o desktop, é um pouco cansativo? E que pra ter ele completo são muitos passos?

G.R.: O Debian é universal, como eu disse, e possui uma coletânea invejável de softwares. Você já deve ter visto ele em diversos locais que nem imagina.

O Ubuntu é mais focado em arquitetura i386, simplesmente seleciona pacotes e softwares e os recompila numa coletânea.

R.S.: Os amigos acham que ele não é pra usuário final, ou seja, o desktop?

G.R.: Depende. Eu sou usuário de desktop, colaborador do Debian, e uso ele em meu Desktop. Até minha mãe usa Debian. Acho que ele pode rodar muito bem num desktop, assim como em uma torradeira eletrônica.

Essas dúvidas são muito frequentes.

Acho que o Ubuntu só ganhou a proporção que tomou no Brasil (e olhe que o Brasil hoje representa uma fatia fortíssima do bolo global) porque o Morimoto parou com o desenvolvimento do Kurumin, que fazia coisas semelhantes ao Ubuntu, em favor dos novatos e usuários de Desktop. Mas é claro, o trabalho da Canonical, tecnicamente falando, é bem interessante. Eles são bons.

Mas considero o Ubuntu limitado comparado à universalidade do Debian.

Abraço.

Quem tiver interess em baixar o Debian, basta acessar o site: http://www.debian.org/distrib/. Para baixar o Ubuntu, acesse: http://www.ubuntu.com/desktop/get-ubuntu/download


Maiores Patrocinadores do PostgreSQL

Pra quem nunca ouviu falar, o PostgreSQL é um poderoso sistema gerenciador de banco de dados objeto-relacional de código aberto. Tem mais de 15 anos de desenvolvimento ativo e uma arquitetura que comprovadamente ganhou forte reputação de confiabilidade, integridade de dados e conformidade a padrões.  Roda em todos os grandes sistemas operacionais, incluindo GNU/Linux, Unix e Windows.

Platinum

Command Prompt, Inc. (Estados Unidos)
EnterpriseDB (Estados Unidos)
Red Hat, Inc. (Estados Unidos)

Gold

2ndQuadrant (Reino Unido)
credativ GmbH (Alemanha)
Dalibo (França)
NTT Group (Japão)

Silver

conova communications GmbH (Áustria)
OverBlog (França)
Sun Microsystems, Inc. (Estados Unidos)

Bronze

Fujitsu (Austrália)
HP (Estados Unidos)
OTG (Estados Unidos)
Skype (Luxemburgo)

Fonte: http://www.postgresql.org/about/sponsors


Acessar o MySQL pelo Prompt do Windows

Vez ou outra é necessário acessar o MySQL por linha de comando. Se você estiver no Windows, isso também é possível.

Clique no menu Iniciar, depois Todos os Programas (Windows 7). Em seguida clique em Acessórios, e depois em Prompt de Comando.

Se você tiver instalado o MySQL utilizando o Wamp ou XAMPP ele fica em uma pasta diferente de c:\mysql. Acesse – pelo prompt – a pasta onde fica o MySQL.

Se for o XAMPP, por exemplo, o executável fica em c:\xampp\mysql\bin

Depois que abrir a telinha preta, digite:

mysql -u <nome de usuário*> -p

Pronto. Agora é só digitar qualquer comando (SELECT, UPDATE etc.) que ele irá funcionar normalmente.

* o nome de usuário padrão, geralmente é root. Se a instalação é padrão, a senha está em branco, então é só apertar enter.


Proteja seus arquivos com o TrueCrypt

A Policia Federal gastou cinco meses. Pediu arrego e foi atrás do FBI. Passou-se mais de um ano e nada foi descoberto. Você não sabe do que estou falando? Estou falando do TrueCrypt! Um poderosíssimo software de encriptação de dados que o então banqueiro Daniel Dantas, do Banco Opportunity usou para manter em sigilo seus preciosos dados.

Ao todo confiscados em uma apreensão em sua casa cerca de 2TB (2 TeraBytes) distribuídos em seis discos rígidos externos e um computador portátil. A criptografia utilizada foi a AES 256, uma das mais usadas e mais difíceis de serem quebradas.

O programa tem alguns recursos interessantes. A primeira barreira contra curiosos é – obviamente – uma senha. O fabricante recomenda que se use uma senha de 20 a 25 caracteres (meio grande, mas muito seguro!), com números, letras e caracteres especiais (? ! @ # $ % & * etc.). Além disso podem ser utilizados arquivos na autenticação. O software é open source e roda em Linux, Windows e Mac OS X. Na versão para Windows também é possível fazer uma instalação portable (para usar em pen drives e afins).

Você pode colocar um arquivo de imagem, uma música, um vídeo, e os dados só são liberados quando você digita a senha e insere o arquivo no programa, na hora do desbloqueio. E como se não bastasse, ainda existe mais um recurso interessantíssimo. Você pode criar um volume escondido dentro de outro. Assim se alguém descobrir a senha do primeiro volume, ainda tem que descobrir a do segundo volume (que fica dentro do primeiro). E não tem como ele saber se tem ou não um volume escondido.

Depois que o arquivo é montado, o programa cria uma unidade (no Windows), e você acessa normalmente, como se fosse um pen drive, por exemplo. Quando terminar de trabalhar com os arquivos que estão dentro do volume, é só desmontar, e pronto. Tudo está trancado a sete chaves.

Veja mais:


Deixar o OpenOffice.org em português no Linux Ubuntu 10.04

O OpenOffice.org (ou simplesmente OpenOffice) vem em inglês no Ubuntu 10.04, mas é possível mudar pra português facilmente.

Basta digitar o seguinte no Terminal (Aplicativos -> Acessórios -> Terminal):

sudo apt-get install openoffice.org-help-pt-br openoffice.org-l10n-pt-br -y

Abra o OpenOffice e ele vai estar em português.


Algoritmos de ordenação com elementos humanos

O vídeo faz a representação de alguns algoritmos de ordenação usando algorítmos humanos servir de ilustração. Muito interessante! 🙂


  • Publicidade

  • Redes Sociais

    Facebook  Twitter
  • Projetos Paralelos

  • Estatísticas

    Page Views (desde março de 2010):

    Estatísticas detalhadas
  • Novidades por e-mail!

    Digite seu e-mail:


    Fique tranquilo. Seu e-mail não será usado para outros fins, e você poderá se descadastrar quando quizer.

    Eu!

    Tiago Passos
    Todo o conteúdo desse site esta licenciado sob a licença Creative Commons 3.0 (CC BY 3.0). Você pode copiar e modificar o conteúdo desde que cite o autor.
    iDream theme by Templates Next | Powered by WordPress