Ganhe R$20 de desconto na primeira corrida com a 99Taxi!

Archive for Abril, 2016

Habilitando e desabilitando o Touchpad no Linux

Existe um comando para habilitar e desabilitar o Touchpad no Linux.

Abra o Terminal (CTRL + T).

Para habilitar:

synclient TouchpadOff=0

Para desabilitar:

synclient TouchpadOff=1

Se você preferir, crie scripts para facilitar a chamada a esses comandos.

Fonte: http://ubuntuforum-pt.org/index.php?topic=48778.0


Como criar script Linux

Esse é mais um daqueles artigos ultra diretos. É bem feijão com arroz. Só pra criar um script rapidinho para que você possa chamar uma lista de comandos a partir de qualquer lugar pela linha de comando.

Primeiro abra o Terminal (No Linux Mint, Ubuntu e Debian: CTRL + ALT + T).

Pegue as permissões de root:

sudo su

Crie o arquivo do script com o nano:

nano /usr/bin/meuscript

O comando acima vai criar o arquivo meuscript na pasta /usr/bin/. Essa é uma das pastas que você pode armazenar seu script para que ele seja chamado de qualquer lugar. Por exemplo: vocé só precisaria digitar meuscript e ele seria executado.

Comece seu script com a seguinte linha:

#!/bin/sh

A linha acima irá dizer qual interpretador será utilizado, evitando alguns problemas.

No exemplo, vou executar um script que salva a data atual em um arquivo de texto. Então seria algo assim:

#!/bin/sh

#Salva a data atual no arquivo /tmp/testemeuscript.txt
date > /tmp/testemeuscript.txt

Com exceção da primeira linha, tudo que começa com # é comentário, ou seja, não será executado. Quando você usa o símbolo de maior que (>), será enviada a saída desse comando ao arquivo definido. Nesse caso, a saída de date para /tmp/testemeuscript.txt.

Se você usar apenas um "maior que" (>), ele limpará o arquivo antes de salvar os dados. Se colocar dois "maior que" (>>).

Digite CTRL + O e em seguida Enter para salvar o arquivo, e em seguida CTRL + X para sair do nano e voltar ao terminal.

Por último, você precisa dar permissão de execução ao script:

chmod +x /usr/bin/meuscript

E agora você pode executá-lo:

meuscript

Aparentemente nada aconteceu, mas acredite: aconteceu! 😛

Vamos ver a data salva no arquivo de texto:

cat /tmp/testemeuscript.txt

Se deu tudo certo, a data apareceu pra você! Lembre-se que o diretório /tmp/ é apagado quando o sistema inicia, ou seja, é só pra coisas temporárias :P. O comando cat lê o arquivo e exibe na tela. Se precisar imprimir algo na tela, use o echo, como no exemplo:

echo date

É isso! Dùvidas? Pergunte nos comentários!


Testando a conexão do seu desktop ou servidor Linux por linha de comando com o Speedtest-cli

O Speedtest.net é uma ferramenta bem conhecida e confiável para realização de testes de velocidade. Ele tem diversos servidores de teste espalhandos pelo mundo, e vai escolher o mais próximo ao lugar onde você está, para um teste mais confiável.

Há alguns anos fiz esse artigo sobre teste de velocidade de internet, mas hoje em dia o que eu faço é criar um script que testa periodicamente a velocidade (coloco de hora em hora) e salva os resultados em um log.

Vou mostrar como fazer. Abra o Terminal (CTRL+ALT+T).

Primeiro você deve verificar a versão do python que você tem instalada. Deve ser superior à 2.4:

python -V

Os três comandos abaixo vão baixar, dar permissão de execução e mover para /usr/bin, assim ele poderá ser chamado a partir de qualquer lugar.

sudo wget https://raw.github.com/sivel/speedtest-cli/master/speedtest_cli.py
sudo chmod a+rx speedtest_cli.py
sudo mv speedtest_cli.py /usr/bin/speedtest-cli

Agora você pode rodar o comando abaixo:

speedtest-cli

E terá um resultado como esse:

Retrieving speedtest.net configuration...
Retrieving speedtest.net server list...
Testing from Global Village Telecom (177.158.236.209)...
Selecting best server based on latency...
Hosted by UAUBR (Simao Dias) [76.36 km]: 9.644 ms
Testing download speed........................................
Download: 14.33 Mbit/s
Testing upload speed..................................................
Upload: 5.22 Mbit/s
Share results: http://www.speedtest.net/result/5269792489.png

E assim será possível constatar que estou sendo roubado pela operadora, já que contratei 50 Mega e estou recebendo menos de 15 😛

Uma coisa bem interessante é o "Share results" onde ele disponibiliza um link para a imagem de resumo do teste realizado, assim dá pra deixar registrado e compartilhar com outras pessoas, da mesma forma que é feito pelo site do Speedtest.net.

Também podemos criar um script que testa periodicamente e guarda o dados em um log.

Digite sudo nano /usr/bin/speedtest.sh (ou outro nome que desejar) e coloque o conteúdo abaixo:

#!/bin/bash

#Script que testa velocidade da internet utilizando o Speedtest.net
#Autor: Tiago Passos
#Fonte: http://blog.tiagopassos.com/2016/04/22/testando-a-conexao-do-seu-desktop-ou-servidor-linux-por-linha-de-comando-speedtest-cli/

echo "###" >> ~/speedtest.log
date >> ~/speedtest.log
speedtest-cli --share >> ~/speedtest.log
date >> ~/speedtest.log
echo "###" >> ~/speedtest.log
echo "" >> ~/speedtest.log

Não esqueça de dar permissão de execução:

sudo chmod +x /usr/bin/speedtest.sh

Nesse caso eu salvei o log na raiz do usuário logado (~/speedtest.log), mas você pode escolher outro lugar. Adicionei a data (date) porque o teste não, mostra na saída de texto, nenhuma data.

Pra completar, podemos colocar o teste no cron. Para executar de hora em hora. Digite:

crontab -e

E acrescente a linha:

0 * * * * speedtest.sh

Pronto! Deu certo? Deu errado? Teve que fazer diferente? Comente!

Fonte:


Compatibilidade do Notebook DELL I14-5448-C25 e do Wi-Fi Intel 7265

Comprei um Notebook Notebook DELL I14-5448-C25, que vem com a placa Wi-Fi Intel 7265, recentemente, e estou escrevendo esse post apenas para registrar que ele não é compatível com o Linux (especificamente o Linux Mint).

Com isso quero dizer que, se você instalar o Linux Mint 17 nele, nem tudo vai funcionar automaticamente, em especial a placa wi-fi e a placa de rede.

A placa wi-fi chega a conectar, mas fica totalmente instável, com conexão lenta e perda de pacotes após alguns minutos, até que eventualmente para de funcionar até que você reinicie a placa.

O que eu gostaria de escrever nesse post é como fazer pra que ela funcione corretamente. E para isso pesquisei em vários fóruns, que davam várias sugestões (links abaixo). Como tentei muitas coisas diferentes, é difícil dizer o que realmente funcionou, e para ter certeza do que funcionou, eu teria que reinstalar o Linux Mint (coisa que nesse momento exato não tenho tempo para fazer).

Como não queria que toda a pesquisa passasse em branco, resolvi fazer esse post para que sirva de guia pra quem tiver o mesmo problema.

O que consegui na verdade não foi a solução do problema, e sim uma solução de contorno.

As placas WI FI modernas vem com suporte a 3 padrões diferentes (B, G e N). Para fazer funcionar, tive que desativar o suporte ao padrão N, com conexões mais rápidas, porque supostamente é aí que reside o bug que faz a placa ficar instável. O efeito colateral disso é que a conexão máxima seria do padrão G (54Mbps). Mas como dificilmente me conecto em uma rede maior que isso, pra mim não faz tanta diferença.

Outra coisa que fiz e talvez ajude foi atualizar para o Kernel 4.5. Também desativei o modo de economia de energia, o que também deve ter ajudado.

Quando instalei o Kernel novo, o monitor, que antes ficava com um brilho bem baixo, também começou a funcionar corretamente.

O problema que realmente não consegui resolver ainda foi a placa de rede (Ethernet, cabeada) que não funciona.

Se alguém identificar a solução mais efetiva para o problema do WI-FI e da Ethernet, peço encarecidamente que compartilhe aqui nos comentários. Adicionarei ao artigo com os devidos créditos.

Segue abaixo todos os links que utilizei, para referência:


Instalando o Kernel 4.5 no Linux Mint, Ubuntu e Debian rapidamente

Essa é uma daquelas dicas rápidas. Então vamo lá:

Acesse o terminal (CTRL + ALT + T).

Para Kernel de 32 bits, digite o comando:

cd /tmp; wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.5-wily/linux-headers-4.5.0-040500-generic_4.5.0-040500.201603140130_i386.deb http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.5-wily/linux-headers-4.5.0-040500_4.5.0-040500.201603140130_all.deb http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.5-wily/linux-image-4.5.0-040500-generic_4.5.0-040500.201603140130_i386.deb; sudo dpkg -i *.deb

Para Kernel de 64 bits, digite o comando:

cd /tmp; wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.5-wily/linux-headers-4.5.0-040500-generic_4.5.0-040500.201603140130_amd64.deb http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.5-wily/linux-headers-4.5.0-040500_4.5.0-040500.201603140130_all.deb http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.5-wily/linux-image-4.5.0-040500-generic_4.5.0-040500.201603140130_amd64.deb; sudo dpkg -i *.deb

Depois você precisa atualizar o GRUB:

sudo update-grub

E reiniciar o computador:

sudo reboot

Pronto! Está tudo atualizado! 🙂

Informações adicionais:

Pra saber a versão atual do Kernel, digite:

uname -r

Caso queira remover o Kernel instalado:

sudo apt-get purge linux-image-4.5-*

E em seguida atualize o GRUB novamente

sudo update-grub

Você pode escolher usar uma das versões anteriores quando iniciar o sistema.

Esse tutorial foi testado no Linux Mint 17, mas a principio funciona no Debian e Ubuntu sem problemas.

Fonte: https://mintguide.org/system/584-install-linux-kernel-4-5-stable-on-linux-mint.html


  • Publicidade

  • Redes Sociais

    Facebook  Twitter
  • Projetos Paralelos

  • Estatísticas

    Page Views (desde março de 2010):

    Estatísticas detalhadas
  • Novidades por e-mail!

    Digite seu e-mail:


    Fique tranquilo. Seu e-mail não será usado para outros fins, e você poderá se descadastrar quando quizer.

    Eu!

    Tiago Passos
    Todo o conteúdo desse site esta licenciado sob a licença Creative Commons 3.0 (CC BY 3.0). Você pode copiar e modificar o conteúdo desde que cite o autor.
    iDream theme by Templates Next | Powered by WordPress