Saiba mais sobre a DigitanOcean: Adeus Amazon (AWS)… Olá DigitalOcean!

Notícias

WebIncognita, fork do framework WebIntegrator (WI) é lançado

O WebIntegrator – ou simplesmente WI – é um é um ambiente de alta produtividade para o desenvolvimento de aplicações Web em plataforma Java licenciado como software livre. É brasileiro, foi desenvolvido pela empresa ITX Tecnologia da Informação, e está atualmente com um crescimento bem interessante na sua utilização. Está sendo atualmente utilizado por muitas empresas privadas e públicas, como a Embrapa.

Com o software é possível criar aplicações web com total independência entre as regras de negócio e o layout, de uma forma bastante intuitiva e com muito pouco código. O ambiente  de desenvolvimento também é web, o que quer dizer que você pode desenvolver de qualquer lugar, bastando para isso um navegador.

Um dos principais desenvolvedores – Geraldo Moraes – e sua empresa, a Incognita Inteligência Digital, liberaram ontem (14/02) a versão estável  da WebIncognita, um fork – projeto paralelo – baseado no WebIntegrator (3.3.8), já que a marca pertence à ITX Software. É possível fazer o download gratuitamente na seção de downloads do site da Incognita.

Veja o artigo no Wikipedia sobre o WebIntegrator.


Saiu a edição 22 da Revista Espírito Livre!

Revista Espírito Livre - Edição 22

A Revista Espírito Livre é uma publicação gratuita sobre software livre. A revista é liberada todos os meses em PDF no site. Na edição 22, o tema é “Software Livre nas Empresas”, e entre outras coisas fala sobre como o software livre já é uma realidade em grande parte das empresas, e aquelas que, dizem não usar, muito provavelmente acabam usando, seja na hospedagem de seu site, seja no framework utilizado para criar uma solução web, seja para navegar, já que a própria Internet tem como pilares, softwares de código-aberto.

Além disso, a edição apresenta várias outros artigos que ajudam a compor o tema do mês. Albino Biasutti apresenta um pequeno case de sucesso de implantação de software livre em uma empresa hospitalar, Estefânio Luiz Almeira fala sobre o MySQL e como ele pode ser uma boa solução empresarial, no que diz respeito a Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados. Evaldo Júnior, que andava sumido, mas que retoma suas contribuições junto a revista, fala sobre um case de implantação de software livre em uma micro empresa. Gilberto Sudré, deixa claro em seu artigo, que o software livre já está maduro para o mercado.

Baixe a revista de graça aqui!


Governo da Letônia passará a utilizar o Open Document Format (ODF) em seus órgãos

Quarta-feira passada Simon Phipps, antigo responsável pelo programa open-source da Sun, escreveu em seu blog sobre a apresentação numa conferência na Letônia sobre o Open Document Format (ODF). O ODF é formato de livre de texto (equivalente ao DOC, da Microsoft), planilha (equivalente ao XLS) e vários outros. O padrão é utilizado no BrOffice, OpenOffice, LibreOffice etc. Ele conta que o governo da Letônia fez um anúncio oficial de que, de agora em diante, todos os departamentos do Governo da Letônia irão aceitar documentos no formato ODF.

Apesar de ser um país bastante pequeno e não tão influente na economia internacional, essa tendência deve alcançar vários outros países europeus nos próximos anos. O problema de se usar formatos proprietários (como o DOC) para armazenar os documentos oficiais ou de valor histórico é que somente a empresa detentora do formato (no caso, a Microsoft) conhece o processo de armazenamento da informação. Isso quer dizer que, se em 10, 20 ou 50 anos o formato for extinto, por exemplo, toda a informação corre risco de se perder.

Apesar de ser possível – com o BrOffice, OpenOffice e o LibreOffice – abrir arquivos no formato DOC, não existem garantias de que toda a integridade da informação e formatação do documento foi preservada quando o arquivo é aberto por um desses programas. Além disso, traz outro problema: os governos se tornam dependentes de uma tecnologia proprietária quando existe uma tecnologia livre e gratuita equivalente. Muito dinheiro é gasto em licenças desnecessárias.

O formato ODF também pode ser aberto pelos produtos da Microsoft, então uma pessoa que já tenha o Office em seu computador não precisa instalar outro programa, apesar de esses softwares serem gratuitos.

Fonte: The H Open Source


EnterpriseDB lança versão comercial e ferramentas de segurança para o PostgreSQL 9

Essa semana a EnterpriseDB, a maior empresa prestadora de suporte comercial ao banco de dados PostgreSQL – o mais importante banco de dados livre atualmente – lançou o Postgres Plus Standard Server 9, que é uma versão comercial do PostgreSQL 9 lançado pela comunidade em setembro de 2010. A empresa também lançou ferramentas desenvolvidas para auxiliar os usuários do banco a ter mais segurança em suas bases e seus códigos.

“O Postgres Plus Standard Server 9 inclui todas as atualizações liberadas desde setembro”, informa Robin Schumacher, diretor de estratégia de produto na EnterpriseDB para a InternetNews.com.

Foram lançada três ferramentas. São elas:

Fonte: http://itmanagement.earthweb.com/secu/article.php/3921476/EnterpriseDB-Releases-New-Postgres-Plus-Security-Tools.htm


O Nokia Qt fará parte do Ubuntu 11.04

Em um post do seu blog, Mark Shuttleworth – fundador da Canonical, dona do Ubuntu – revelou que o Nokia Qt será incluído como um componente padrão nas próximas versões do Ubuntu, a distribuição Linux mais popular atualmente. Trata-se de um framework multiplataforma, ou seja, que funciona em vários sistemas operacionais, desenvolvido em C++. Sua utilização torna possível desenvolver aplicativos e bibliotecas e compilá-los em diversas plataformas, sem a necessidade que alterar o código fonte. É bastante utilizado no KDE (interface gráfica para Linux) e no Maemo (nova plataforma para dispositivos móveis da Nokia). Ambos livres.

Com o Qt também será possível um posicionamento mais forte no “mundo” dos dispositivos móveis. Irá também ajudar a acelerar o desenvolvimento de aplicativos de terceiros. A mudança pode ser considerada como bastante controversa, pois enquanto distribuição “Gnome”, historicamente o Ubuntu sempre se alinhou com o Gtk+, outro toolkit multi-plataforma para a criação de interfaces gráficas.

Historicamente, aplicações Linux para desktop têm sido desenvolvidas com Gtk+ ou Qt, os dois toolkits livres dominantes para esse fim. O Qt foi, originalmente, criado pela Trolltech. As maiores distribuições Linux padronizaram o desenvolvimento utilizando o Gtk+ por causa da sua licença mais permissiva e mais barata para o desenvolvimento de softwares proprietários. Apesar disso, o Qt está tendo uma evolução mais rápida sob vários aspectos, como melhores recursos e portabilidade.

A Nokia adquiriu a Trolltech em 2008 e licenciou o QT sob a licença LGPL em 2009, o que eliminou as barreira comercial do licenciamento, que impediu a adoção em larga escala do toolkit. Entre as empresas que utilizam o Qt estão: Google, Amazon, Skype e Adobe.

Fonte: ars technica


W3C lança novo logo do HTML5

O W3C (World Wide Web Consortium), órgão regulamentador dos padrões da internet, liberou hoje o novo logo do HTML5. Com isso, a organização pretende promover a nova tecnologia Web. A intenção é que a nova marca aumente o interesse por esse novo e mais atual formato da web.

A idéia é promover uma série de outras tecnologias, junto com o HTML5, como por exemplo: CSS (Cascading Style Sheets – formatação e efeitos gráficos), SVG (Scalable Vector Graphics – gráficos em 2D) e WOFF (Web Open Font Format – tipografia).

Fonte: CNET News


Banco de Dados “Cassandra”, da Apache, permite ter 2 bilhões de colunas em uma linha

Um banco de dados livre capaz de armazenar linhas tão grandes pode ser muito útil, especialmente para a grande quantidade de dados dos maiores projetos de computação na nuvem, além de aplicações web de grande porte. Vários serviços já utilizaram esse banco de dados, incluindo o Digg, Twitter e Facebook. Foi o Facebook que desenvolveu o SGBD. O maior cluster do Cassandra possui mais de 400 servidores.

O novo recurso (Large Row Support) que permite que o banco armazene 2 bilhões de colunas em uma linha foi disponibilizado na versão última versão, a 0.7. Era possível armazenar aproximadamente 2GB de dados em uma linha, agora esse limite máximo foi removido.

Outros recursos foram adicionados nessa versão, como a adição de índices secundários e a possibilidade de fazer alterações em um esquema (schema) sem reiniciar o cluster inteiro. O Cassandra é um banco de dados não-relacional (NoSQL). Bancos de dados desse tipo possuem a vantagem de armazenar fácil e rapidamente uma grande quantidade de dados em um ambiente de clusters.


Gerente de Desenvolvimento do Ubuntu sai da Canonical e vai para o Google

Scott James Remnant, the “Gerente de Desenvolvimento do Ubuntu”, da Canonical, anunciou que está se mudando de Londres para trabalhar na Google, em São Francisco. Ele deixou sua posição no Debian há sete anos e entrou na Canonical, quando a empresa foi fundada por Mark Shuttleworth.

Ele fala no seu blog sobre o interesse em viver em São Francisco, junto com uma vontade de voltar ao “desenvolvimento puro”, ao invés da “engenharia da distribuição”.

Fonte: The H Open Source


Para um PC velho ou lento: Puppy Linux 5.2

Para um PC velho ou lento: Puppy Linux 5.2

Não há dúvidas que o Ubuntu atrai a maior parte da atenção quando se fala em Linux hoje em dia, mas existem outras distribuições que também merecem atenção. Uma delas é o Puppy Linux, que teve uma versão lançada semana passada.

Em setembro, o Puppy Linux estava na décima posição das distribuições mais usadas. Agora subiu para a nona, segundo o Distrowatch. E existem bons motivos para isso.

A primeira grande diferença em relação às outras é que ele é pequeno. Muito pequeno. São necessários apenas 100MB de espaço em disco. E como isso é muito pouco, é tudo carregado na memória RAM, o que o deixa muito rápido. É bastante recomendável para computadores antigos ou quando poucos recursos estão disponíveis.

Ele pode, inclusive, rodar de um pen drive ou CD, caso o HD do computador não esteja funcionando, e também é útil quando o Windows para de funcionar por causa de vírus, por exemplo. Basta rodar do CD.

Além disso tudo, é totalmente compativel com o Ubuntu 10.04 LTS. Isso quer dizer que todas as atualizações que são liberadas para o Ubuntu – e isso acontece com bastante frequência – estarão disponíveis para o Puppy Linux. Basta usar os repositórios do Ubuntu.

Na versão 5.2 foram atualizados todos os principais programas. Quer testar? Baixe a ISO do Puppy Linux 5.2 aqui! Depois é só gravar em um CD e iniciar dele.

Fonte: Yahoo! News


Lançado o Joomla 1.6

Foi lançada ontem a versão 1.6 do Joomla, um dos CMS (Content Management System, ou Sistema de Gerenciamento de Conteúdo) mais populares atualmente. O Joomla é Software Livre, e com ele é possível administrar desde pequenos sites e blogs pessoais, a sites de porte médio e grande, sites de intranet etc.

Essa nova versão veio com as seguintes novidades:

  • Instalação melhorada, permitindo múltiplos sites em uma única instalação do sistema
  • Suporte melhorado para produção mais simplificado de sites com mais de um idioma
  • Novos templates, com design e visibilidade para sistemas de busca (SEO) melhorada
  • Mais controle sobre os estilos dos templates

E muito mais…

As melhorias relacionadas aos templates darão aos designers uma maior flexibilidade para criar sites mais personalizados para cada público. Agora é possível cirar templates para a área de administração individuais para cada usuário, exibindo a cada um somente o que é necessário.

Veja aqui os demos: frontend (portal) e backend (área de administração)

Sites feitos utilizando o Joomla.

Baixe o Joomla 1.6 aqui.


  • Publicidade

  • Redes Sociais

    Facebook  Twitter
  • Projetos Paralelos

  • Estatísticas

    Page Views (desde março de 2010):

    Estatísticas detalhadas
  • Novidades por e-mail!

    Digite seu e-mail:


    Fique tranquilo. Seu e-mail não será usado para outros fins, e você poderá se descadastrar quando quizer.

    Eu!

    Tiago Passos
    Todo o conteúdo desse site esta licenciado sob a licença Creative Commons 3.0 (CC BY 3.0). Você pode copiar e modificar o conteúdo desde que cite o autor.
    iDream theme by Templates Next | Powered by WordPress