Ganhe R$20 de desconto na primeira corrida com a 99Taxi!

Tag: viagem

ChatSim: como jogar 15 Euros no lixo

Recentemente eu comprei um ChatSim. Trata-se de um serviço com uma proposta bem interessante: você paga 10 Euros por ano (+5 Euros pela compra do chip e entrega no Brasil) e você pode utilizar mensagens de texto em aplicativos de chat, como whatsapp, em vários países.

O conceito parece interessante porque normalmente utilizar o celular fora do seu país é bem caro. A alternativa seria comprar um chip no país onde você vai, mas nem sempre isso é viável (no Japão, por exemplo, somente japoneses ou estrangeiros com residência fixa tem direito a uma linha de celular).

O serviço não foi feito para enviar e receber fotos, ou usar aplicativos de banco, por exemplo. É só pra usar para trocar mensagens de texto. Até aí tudo bem, pois eles deixam isso bem claro.

A ideia do serviço é bem específica. Mas por 10 euros por ano (ou uns 3 reais por mês, na média), poderia ser interessante, a depender das suas necessidades. PODERIA, pois o detalhe é que o serviço é PORCO.

Nas primeiras horas de uso eles já me mandaram um e-mail dizendo que eu estava abusando do serviço e bloquearam meu chip. Entrei em contato com o suporte eles disseram pra verificar se algum aplicativo estava fazendo sincronia em background, como aplicativos de e-mail, por exemplo, que fazem isso de tempos em tempos.

Fiz o que o suporte mandava e nos dias seguintes vários e-mails reportando uso abusivo continuavam chegando, sendo que a única coisa que eu fazia era enviar mensagens pelo WhatsApp (e nem eram tantas assim), até que finalmente bloquearam definitivamente meu chip.

Entrei em contato com o suporte novamente e me disseram que se eu quisesse continuar a usar, teria que colocar mais 10 Euros no chip! Essa recarga era pra durar 1 ano e só durou 4 dias! Absurdo.

Troquei inúmeras mensagens com o suporte, e a única coisa que eles fazem é repetir isso: "We suggest you to check all automatic download in background because phones continue to exchange and use data traffic with the outer world even when they seem to be idle. Apps connect in the background, download updates and much more. If you disable all automatic download in background, you may avoid an excessive use of traffic and hence of precautionary blocks of your Sim."

Ou seja, a história dos aplicativos em background, que eu fiz no primeiro dia de uso.

Pra finalizar: minha ideia era fazer uma resenha sobre o chip. Mas acabou sendo mais um desabafo. Não compre essa porcaria.


A TAM e a pegadinha da conexão com troca de aeroporto

Com alguma frequência viajo de avião e – como normalmente compro as passagens mais baratas – é comum ter conexões.

A passagem que mais me interessava tinha uma conexão curiosa: eu chegaria em São Paulo no Aeroporto de Congonhas (CGH) e pegaria um outro vôo em Guarulhos (GRU), ou seja, teria que ir por terra de um aeroporto ao outro. O tempo (com trânsito bom) para o trajeto é de cerca de 45 minutos.

Como tinha uma diferença de duas horas e meia entre um vôo e outro, e a companhia aérea oferece um ônibus gratuitamente para os trajetos entre os aeroportos, não tinha muito o que dar errado, certo? Errado.

Quando cheguei na fila para pegar o ônibus, tinha uma quantidade absurda de pessoas na mesma situação e descobri que a empresa só disponibilizava um ônibus por hora, sendo que o primeiro tinha acabado de partir. Caso tudo desse certo, levaria 1 hora e 45 minutos pra chegar em Guarulhos. Lembrando que é preciso chegar com uma hora de antecedência, pois as bagagens foram retiradas por mim em um aeroporto para serem levadas ao outro e eu teria que despachá-las novamente.

Fui ao atendimento da empresa para me informar sobre o que fazer, pois a chance de perder o vôo era alta, e a resposta foi bem clara: o cliente é responsável pelo transporte, e a empresa não pode (ou não quer?) fazer nada a respeito. Falei com o supervisor e ele me disse a mesma coisa, argumentando que a ANAC regulamenta essa modalidade de vôo (segundo ele, Surface), e que o ônibus da empresa é uma cortesia.

Ora, qual a vantagem pra mim de pegar um vôo com uma conexão e ainda ter que arcar com os R$42,00 (de ônibus) ou R$189,00 (de táxi)?

Vôos com conexões normalmente são mais baratos, e se vou ter que gastar mais com isso, perdem completamente a vantagem!

Mas o que incomoda de verdade é o fato de que em nenhum momento, desde a compra da passagem até o embarque na cidade de origem, fui orientado de que teria que arcar com esse valor caso não tivesse disponibilidade no ônibus. Agora o cliente é obrigado a fuçar o site da ANAC e da empresa aérea em busca de contratos e regulamentações para pegar um simples vôo?

Se eu tiver que ficar vendo regulamento para tudo que consumo (internet, telefonia móvel, cartão de crédito etc.) eu não vou fazer outra coisa na vida!

No fim, pra mim deu tudo certo. Mas várias pessoas que estavam na mesma situação perderam seus vôos.

Atualização em 07/01/2016

Acredito que a melhor opção para ir de Congonhas a Guarulhos (e vice-versa), principalmente para quem estiver com pouco tempo, é utilizar o Uber. Sai bem mais barato que taxi na bandeira 1 que, sem trânsito, custa em torno de R$120. O mesmo trajeto no Uber sai entre R$60 e R$80. Não existe bandeira 2 no Uber.

O preço é bem interessante, especialmente se forem duas pessoas ou mais. O tempo do trajeto (sem trânsito) é algo em torno de 40 minutos a 1 hora, e normalmente é possível conseguir um Uber em cerca de 10 a 15 minutos.

Cadastre-se no Uber utilizando o cupom de desconto mbx1xkkmue e ganhe R$10 (dez reais) de desconto nas duas primeiras viagens.

Cadastre-se no 99Taxis pelo link http://ssqt.co/msc4d3D e ganhe R$20 (vinte reais) de desconto na primeira corrida. Serve para 99 Pop (carro particular) ou Taxi.

É interessante que você já deixe o aplicativo configurado e com o cartão de crédito cadastrado para que, quando você precise, ele já esteja disponível para ser usado. Cada usuário só pode pedir um carro, então se você precisar de dois, configure o aplicativo também no celular de outra pessoa.

Saiba mais sobre o Uber.


Viagem internacional: levar dinheiro ou cartão?

Há dois anos atrás fiz uma viagem para a Argentina. E tive o seguinte dilema: como vou levar o dinheiro?

Muita gente falava que era melhor sacar o dinheiro lá mesmo, em caixas eletrônicos de bancos locais. Mas como eu não sabia direito como funcionava, fiquei receoso de chegar lá, não conseguir sacar o dinheiro, e ter sérios problemas. Então acabei levando boa parte em dinheiro mesmo (reais).

Para trocar dinheiro na moeda local, em muitos países, é necessário levar em dólares. Então você perde duas vezes: primeiro quando troca de reais para dólares, e depois quando troca de dólares para a moeda local, já que você paga uma taxa toda vez que faz a troca na casa de câmbio.

No caso da Argentina não é necessário fazer a troca para dólares. A imensa maioria das casas de câmbio possuem o real entre suas moedas disponíveis. E em Buenos Aires você pode fazer a troca em dezenas de casas de câmbio. Faça uma pesquisa e compre na mais barata.

Mas e se você não quizer levar muito dinheiro? Quais as opções?

Cartão de Débito Internacional

O cartão de débito internacional, na minha opinião, é a melhor opção. Primeiro porque você não precisa sair em busca de casas de câmbio, e nem perder tanto dinheiro em taxas. Você pode usar o cartão para pagar compras em supermercados, hotéis, albergues, restaurantes etc. Se você precisar de dinheiro vivo, existem vários caixas eletrônicos disponíveis. Isso tudo com a segurança de não precisar ficar andando com centenas de reais (em moeda local) no bolso.

Cada banco tem suas caracterísitcas, limites e taxas. O meu banco é o Itaú (uso a iConta, sem taxa de manutenção). Você tem que ligar para o banco para desbloquear o débito internacional. E deve fazer o quanto antes (no mínimo um dia antes da viagem).

O Itaú cobra R$9 (nove reais) por cada saque. Você pode sacar diariamente R$1200 e fazer compras (débito) de até R$2300 por dia ou R$3500 por semana.

A taxa de câmbio cobrada será a vigorada no dia, e você deve ligar para o banco (Setor de Câmbio) e se informar sobre os valores cobrados.

Em cada saque ou compra é cobrado o IOF. Alguns bancos já estão utilizando o novo valor, de 6,38%. O IOF é a principal desvantagem em relação a levar dinheiro vivo para fazer a troca no país de destino ou levar cartão de débito.

Você deverá checar todas as informações citadas acima com seu banco. Também pode solicitar uma lista de caixas eletrônicos disponíveis. Os clientes Itaú podem sacar nos caixas eletrônicos argentinos disponíveis aqui: https://w3.banelco.com.ar.

Cartão de Crédito Internacional

O cartão de crédito internacional também é uma boa opção, mas ao meu ver, deverá ser utilizada apenas em emergências.

Primeiro porque geralmente as taxas são mais altas. No caso do meu cartão (Santander Free), se eu quizer fazer um saque, pago R$15 e só posso sacar 10% do meu limite. Ou seja, se o limite for de R$2000, você só pode sacar R$200 até pagar a fatura. Não dá pra nada.

Como no cartão de débito, também se paga a IOF. A taxa de câmbio utilizada é a do dia do fechamento da fatura, então você pode ter surpresas agradáveis ou desagradáveis.

O Santander também não me informou um lugar onde posso consultar endereços de caixas eletrônicos. Mas qualquer caixa eletrônico com a bandeira Maestro, no caso dos cartões MasterCard, poderá ser utilizado.

Também no caso do Santander, só é possível sacar se o cartão for com CHIP. Você pode solicitar o seu diretamente com o banco. As regras de cada banco são parecidas, mas você deve checar essas informações diretamente com o seu banco.

Lembre-se que as taxas de câmbio utilizadas não são necessariamente as mesmas que são anunciadas na televisão. Pode haver diferenças.

Também tem o problema dos cartões de crédito vinculados a contas correntes. Muitas pessoas têm problemas porque, quando vão tentar sacar utilizando o cartão, o débito é feito no cartão de crédito, e não na conta corrente. Os saques de cartão de crédito geralmente têm tarifas mais altas que os de cartão de débito (conta corrente).

Se você não possui um cartão de crédito internacional, quer ter outro, ou quer um desvinculado da sua conta corrente, clique aqui.

Informação adicionada em 30/09/2011: Liguei para o Banco do Brasil para consultar taxas relacionadas ao Cartão Saraiva Visa Internacional, que é emitido pelo Banco do Brasil. O banco cobra uma taxa de R$6,50 para saques nacionais ou internacionais. Além disso, cobra 17,85% de juros ao mês quando você faz o saque. Ou seja, se você fizer um saque de R$100 no dia 1º e a fatura é fechada no dia 30, você pagará R$124.35 na sua fatura. O banco também limita saques a 20% do limite do cartão.

Onder guardar documentos, dinheiro e cartões?

Muita gente comete o grave erro de colocar documentos importantes e dinheiro na mochila/mala. Se a bagagem for roubada, já era!

Use a seguinte regra: tudo que for importante (passaporte, cartão de crédito, a maior parte do dinheiro) deve estar grudado a você. Você pode comprar uma carteira de viagem (ou doleira) que é como uma pochete bem fininha, que você coloca por debaixo da roupa. Também é interessante não colocar todo o seu dinheiro no mesmo lugar.

Só tome cuidado para não deixar saberem que você está com essa pochete. Quando for tirar alguma coisa dela, vá em um lugar reservado como um banheiro. Deixe um pouco de dinheiro na carteira para que a doleira não se torne um inconveniente. No DealExtreme vende uma doleira bem baratinha. Mas você também pode comprar em Aeroportos (um pouco mais caro).

Seguindo essas dicas você vai chegar mais preparado ao país onde decidiu passar suas férias!


  • Publicidade

  • Redes Sociais

    Facebook  Twitter
  • Projetos Paralelos

  • Estatísticas

    Page Views (desde março de 2010):

    Estatísticas detalhadas
  • Novidades por e-mail!

    Digite seu e-mail:


    Fique tranquilo. Seu e-mail não será usado para outros fins, e você poderá se descadastrar quando quizer.

    Eu!

    Tiago Passos
    Todo o conteúdo desse site esta licenciado sob a licença Creative Commons 3.0 (CC BY 3.0). Você pode copiar e modificar o conteúdo desde que cite o autor.
    iDream theme by Templates Next | Powered by WordPress